11 abril, 2006

Moqueca Capixaba

Hoje vai um prato tipicamente brasileiro. Este é um prato tradicional do litoral do Espírito Santo, aprendi a apreciá-lo nas férias de verão que costumava passar lá anos atrás. Reza a lenda que os índios da região já faziam a moqueca que foi rapidamente adaptada aos hábitos dos locais (capixabas). As panelas de barro usadas para a moqueca são uma atração à parte, garantem o sabor inegualável. Existe muita confusão entre a moqueca baiana e a moqueca capixaba, porém uma coisa é inconfundível... a baiana leva azeite de dendê, a capixaba não, mas como diz o povo do Espírito Santo: "Moqueca é capixaba, o resto... é peixada."

Aprendi essa receita em Meaípe (litoral do Espírito Santo), em um restaurante local onde comi a melhor moqueca. Eles gentilmente me levaram à cozinha e me deram as dicas.

Moqueca Capixaba

1 kg badejo, posta
500 g camarão de molho, descascado
1/2 maço cebolinha, picada
1/2 maço coentro, picado
3 cebolas, picadas em cubos
1 kg tomate, picados em cubos
2 dentes alho, picados
1 colher de sopa colorau
azeite
limão
sal
4 pimentas malagueta
  • Tempere as postas com sal e azeite. Reserve.
  • Fritar rapidamente em uma panela de barro, tipo rasa, os dentes de alho.
  • Adicione as 4 pimentas malaguetas, a colher de colorau e deixe fritar por mais alguns minutos.
  • Acrescente todo o tomate, cebolas, coentro e cebolinha. Misture bem e deixe ferver até o tomate ficar macio. Ajuste o sal.
  • Acrescente os camarões e misture bem.
  • Mergulhe as postas no molho deixando-as cobertas por completo. Tampe a panela e deixe cozinhar por 15 minutos, sem mexer.
  • Durante a fervura acrescentar suco de ½ limão, regar com azeite e, se necessário, corrija o sal.
  • Sirva com arroz branco e pirão de peixe.
  • Dica: Caso não goste de coentro pode-se colocar o maço completo do coentro amarrado por um barbante, na metade do cozimento retire o maço. O aroma fica leve e o sabor quase não aparece.

6 comentários:

Floppy disse...

Quando estivemos na bahia, comemos tanta que a minha cara-metade enjoou... ele dizia que devia ser do óleo de dendê (cá diz-se óleo de palma) e é capaz de ter razão é mto forte.

No ano passado, também estive em Angola e eles também usam e abusam deste óleo. No entanto, têm um pratos fantásticos feitos com o melhor peixe que já comi... adorei o Calulu, já ouviste falar?

RC disse...

Oi Floppy,

Estive na Angola também e adorei o Calulu... muito saboroso!

Com certeza era o dendê... eu particularmente detesto, acho forte demais. Mas como disse a moqueca baiana é completamente diferente da capixaba, vale a pena experimentar é muito mais leve. Novamente, como dizem os capixabas "moqueca é capixaba, o resto é peixada".

Quando você vem ao Brasil de novo?

beijos pra você!

Floppy disse...

... não sei... houve a hipótese de ir este ano sem trabalho mas acho que não deve ser para já!

E tu, a Portugal? ;)

Isa disse...

Deve ser delicioso! Experimentei em Lisboa mas julgo que levava leite de coco...sera??

O que e pirao de peixe?

Um abraco

(desculpe a falta de acentos, mas este teclado nao tem...)

RC disse...

Isa, o que você deve ter comido foi a moqueca baiana que leva leite de coco e azeite de dendê.

O pirão de peixe é feito a base de caldo de peixe e engrossado com farinha, temperado com ervas e normalmente com uma boa pimentinha. Uma delicia misturado com arroz!

grande abraço!

Anônimo disse...

A minha comida predileta, sensacional, como capixabas nos fazemos regularmente e o pessoal aqui de SP , acha o máximo. !! os comentários a respeito do nosso pratp típico são, diferente, saborosa,leve deliciosa e por ai vai.